Mergulho em Punta Cana – Isla Catalina, República Dominicana

Ter feito o mergulho em Punta Cana foi uma das coisas mais fascinantes que eu fiz República Dominicana. O mar caribenho é realmente calmo e transparente, era possível ver cada detalhe dos corais, peixes, anêmonas e outros seres marinhos.

Mergulho em Punta Cana – Isla Catalina

A equipe de marketing da ScubaCaribe estava montada na piscina do Resort Riu Bambu em Punta Cana oferecendo uma experiência com alguns conceitos básicos de mergulho (scuba dive) ensinados dentro da piscina mesmo. De graça? Por que não? Foi amor a primeira vista!

80-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

Depois da experiência não tivemos como dizer não. Logo após a mini aula, a equipe de marketing nos informou sobre valores e como funcionaria o passeio e o mergulho. O mergulho foi feito na Isla Catalina, uma das águas mais cristalinas da República Dominicana perto de Punta Cana.

Sobre os valores e informações da equipe ScubaCaribe, calma que está tudo no final de post 😉

3-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

DCIM103GOPROG0502480.

DCIM103GOPROG0502343.

DCIM103GOPROG0582914.

Aula teórica e prática antes de mergulhar no mar

A ScubaCaribe segue corretamente todas as instruções exigidas pela metodologia PADI (organização de treinamento e certificação de mergulhadores mundial). Então antes de entrarmos no mar, foi feito um treinamento teórico e prático (dentro da piscina) com todas as informações necessárias para um mergulho guiado.

3-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

Primeiramente tivemos uma aula teórica com o instrutor de mergulho André. Ele era brasileiro, então a aula foi bem mais fácil de ser entendida. Mas também poderia ser em inglês ou espanhol. Durou uns 30 minutos. Alguns termos de responsabilidade foram assinados e depois ele mostrou todo o procedimento básico de mergulho, nos apresentou os equipamentos e nos deu instruções de emergências. No fim teve uma “prova”, daquelas de verdadeiro ou falso, para ver se realmente estávamos entendendo as instruções.

Em seguida vestimos as roupas de mergulho e os equipamento para uma aula prática na piscina do resort. Nessa hora, ele anota toda a numeração da roupa, pé de pato e colete inflável, pois quando chegar o dia do mergulho, já estaria tudo separado em caixas (evitando tumulto e agilizando o processo).

Na piscina fizemos algumas simulações como:
– Equalização dos ouvidos
– Como tirar água do óculos embaixo d’água
– O que fazer em caso de perda do transmissor de oxigênio
– Como verificar a quantidade de oxigênio disponível no cilindro
– Linguagem de sinais
– Entre outras simulações de emergência

DCIM103GOPROG0602940.

O legal desse treinamento é que você realmente vai saber se sente confortável ou não para mergulhar. Minha tia por exemplo, não conseguiu se adaptar e acabou desistindo de ir para o mar. Já acho ela corajosa só de ter aceitado o desafio! Antes na piscina do que acontecer algo no mar, não é mesmo? Ah e foi super divertido! Nos deixou mais ansiosos para o dia oficial do mergulho.

O agendamento da aula foi feito de acordo com a nossa disponibilidade de dia e horário. Separe umas 3 horas do seu dia para esse treinamento. A aula teórica durou uns 30 minutos e a prática na piscina uns 40. Mas entre isso tem a colocação do roupa, preparação, etc.

O dia oficial

Nos buscaram cedinho no resort e seguimos de ônibus por uma hora e meia até chegar no local de partida do barco. Durante o trajeto, cada um recebeu um número. Esse número era referente a uma caixa que continha o equipamento individual de mergulho. Foi bem organizado, então quando chegamos na base da Scuba Caribe, já estava tudo preparado. Ali colocamos o sleeve (aquele macacão de neoprene) e o resto dos equipamentos colocamos dentro de uma bolsa grande.

82-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

Cada mergulhador recebia essa bolsa para colocar o pé de pato, máscara e o colete inflável

81-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

De sleeve vestido antes de entrar no barco

79-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

Nosso barco

DCIM100GOPROG0256741.

Seguimos para o barco e navegamos por mais ou menos uma hora até chegar no local do primeiro mergulho. Isso mesmo! Não só um, mas foram dois mergulhos em lugares diferentes. Uma equipe estava disponível para ajudar na colocação dos coletes e equipamentos.

DCIM106GOPROG1595815.

5-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

Orgulho desse primo corajoso! 12 anos e já fez mergulho!

OBSERVAÇÃO:
Todas as fotos embaixo d’água foram registradas com uma GoPro Hero 4 Silver Edition. São capturadas sem flash e não possuem edição.

Primeiro mergulho: corais e paredão

Sou leiga no assunto, então vou tentar usar uma linguagem bem simples, até porque não sei os termos técnicos. Para mim tudo era novidade e tudo lindo, mas vamos lá!

Fomos instruídos a descer por uma corda e ir equalizando os ouvidos sempre que possível. Assim que todos estavam no fundo do mar, começamos a nadar e observar os corais. Foi amor a primeira vista! A visibilidade era ótima (melhor que nas fotos) e eu consegui ver todos os detalhes com calma.

O grupo foi bem tranquilo, e o instrutor nos deixava independentes. Se alguém saísse de perto, ele chacoalhava um “negocinho” que emite som e fazendo com que a pessoa percebesse que estava se afastando sem querer. Eu fiquei de mão dada com o Bruno o tempo todo, mas isso não atrapalhou em nada, porque durante o mergulho se nada com o pés e a mãos ficam paradas.

Durou 40 minutos e estávamos a 7 metros de profundidade.

2-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

12-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

DCIM100GOPROG0176367.

DCIM100GOPROG0186400.

DCIM100GOPROG0206538.

DCIM100GOPROG0116088.

Percebi que o coral era contínuo e enorme, sendo que na extremidade tinha um paredão. Depois de percorrer uns 30 minutos pelos corais, foi a vez de observar o paredão. No começo fiquei aflita de olhar para o mar aberto, aquela imensidão azul. Mas depois passou e eu fui descendo o paredão sem medo! Lembrei do filme do Nemo, hahaha.

DCIM100GOPROG0176388.

No paredão! Dava um frio na barriga olhar para o lado esquerdo, era uma imensidão azul!

DCIM100GOPROG0176382.

Do lado esquerdo da foto: mar aberto. Lado direito: paredão de coral

Segundo Mergulho: corais

Como era o segundo mergulho do dia, me senti bem mais confiante. Eu já estava acostumada com o ambiente e me senti bem mais a vontade dentro do mar.

No segundo mergulho notei uma diversidade maior de seres marinhos. Vi arraias, anêmonas, um cavalo marinho bem pequeno, peixe de inúmeras cores e outras espécias aquáticas que não faço nem ideia do nome (desculpa). Percebi que os corais eram isolados, tinha bastante parte “só areia”.

Eu só poderia tocar em algo se meu instrutor tocasse também. Eu gostava se sentir a textura, apesar do receio de tocar. Na hora que vi ele encostando na arraia, lembrei daquele caçador de crocodilo do Discovery Channel que morreu com a rabada de uma arraia. Ok, nada a ver, eu sei. Mas é que passa tanta coisa na nossa cabeça, hahahah. Mas mesmo assim, foi 95% de aproveitamento e 5% de tensão, juro.

Durou 40 minutos e estávamos a 6 metros de profundidade.

DCIM100GOPROG0296767.

DCIM101GOPROG0326853.

DCIM101GOPROG0326864.

DCIM101GOPROG0316824.

DCIM100GOPROG0306777.

Toda errada, eu sei hahaha. Mas só para mostrar que no segundo mergulho os corais eram mais isolados, então tinha vários partes de areia como essa

DCIM101GOPROG0336916.

Cavalo marinho (haja olho para enxergar, era bem pequeno)

Observações importantes

Meu primeiro mergulho de cilindro foi em Bombinhas, e apesar de ser um lugar lindo, a água nem se compara com a transparência da Isla Catalina. Na República Dominicana a visibilidade era bem maior, sem dúvidas!

Além da água, outro ponto positivo foi que eu tive mais independência. Pois na ScubaCaribe, um instrutor é responsável por 4 mergulhadores, então ele não fica te segurando ou te carregando de um lado para o outro. Ele foi bem atencioso, claro, mas confiava na gente.

Porém, também teve um ponto negativo aí. Meu primo tem 12 anos e ao meu ver, ele precisava de uma atenção especial. E não foi o que aconteceu. Na hora de pular no mar ele foi tratado como um adulto, ficou um bom tempo sozinho e nervoso, o que deixou ele um pouco assustado. Mas como o instrutor tinha mais mergulhadores para cuidar, ele acabou ganhando a mesma atenção que todos.

Um pouco antes de acabar o primeiro mergulho, o Bruno estava se sentindo mau e pediu para retornar a superfície. Fomos todos com ele, porque o instrutor não poderia nos deixar lá em baixo sozinhos. Até então deixaríamos ele e voltaríamos para o mar, porém durante e subida meu tio acabou se sentindo mau também por causa do balanço do mar.

Terminei o primeiro mergulho sozinha, apenas eu e o instrutor. Quando retornei para o barco, fiquei sabendo que meu tio tinha ate desmaiado e passou super mau. Sorte que tinha a equipe de resgate e emergência da ScubaCaribe na tripulação. Que loucura, não? Ele estava se sentindo ótimo até antes de voltar a superfície. Ainda bem que ficou tudo bem!

DCIM100GOPROG0126165.

A Isla Catalina

Antes do segundo mergulho, o barco parou no píer da Isla Catalina, que ficava do ladinho da praia, para quem quisesse descer e ficar por ali até a hora de ir embora. Meu tio, tia e primo ficaram na praia e continuei no barco para o segundo mergulho.

Após o mergulho, era hora do almoço e descanso. O almoço foi simples, mas bem gostoso. E depois tive uma hora e meia até voltar ao barco para ir embora. Fiquei no mar o tempo todo, que lugar lindo!

Minha tia estava me contando, logo que chegaram na praia foram recepcionados por um homem muito gentil perguntando onde queriam sentar. Alocou eles nas cadeiras, abriu o guarda sol e mostrou a tenda de almoço. Disse que poderiam ficar a vontade e beber o que quisessem (era tudo incluso no pacote).

É bem comum oferecerem massagens na beira da praia, não só na Isla Catalina, mas em vários lugares turísticos da República Dominicana. Minha tia aceitou o serviço, e conversando com a mulher descobriu que ninguém habita na ilha. Os trabalhadores locais pegam um barco todo os dias para irem trabalhar. A Isla Catalina é bem preservada e reservada.

60-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

61-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

Essa ilha tem uma beleza bem semelhante a Isla Saona, porém beeeem menos movimentada. O mar era calmo e tinha bastante lanchas e yatchs ancorados, com o pessoal bebendo cerveja, conversando e se divertindo. Tive a impressão de que era um local mais reservado e com visitantes mais sofisticados.

Além de tendas para massagens, também tinha umas lojinhas de artesanatos. Vendiam colares, brincos, saídas de banho e pinturas lindas. Gente desculpa, não bati foto de nada disso para mostrar. Fiquei tão encantada naquele mar que não queria mais sair dele!

4-blog-viajando-em-321-scuba-dive-isla-saona-republica-dominicana-punta-cana-mergulho-scuba-caribe

Preços e informações sobre a Scuba Caribe

– Mergulho adulto: U$100
– Mergulho criança (menor de 13 anos): U$60
– Barco/passeio adulto: U$80
– Barco/passeio criança (menor de 13 anos): U$40

Esse “barco/passeio” é pagamento obrigatório, que inclui o almoço, translado de ônibus, máscara de mergulho, água e refrigerante no barco e uma sopa cremosa de macarrão (caso fique com fome entre um mergulho e outro). Ou seja, se você for adulto e quiser fazer o mergulho, custa U$180.

Mas caso for acompanhar alguém que vá mergulhar, custa U$80, pois é preciso pagar apenas o barco/passeio. Lembrando que você não for fazer o mergulho de cilindro, mesmo assim pode entrar na água e ver os peixinhos de máscara de mergulho.

A ScubaCaribe pode ser encontrada em quiosques na beira da praia em frente aos principais resorts. Mas caso você não encontre, pergunte para algum agente de turismo. Ou, entre em contato pelo site: www.scubacaribe.com

E para fechar, aí vai um vídeo que eu fiz durante o mergulho:

Você pode salvar esse post no seu Pinterest

separação - viajando

Outros posts sobre a República Dominicana:
– 18 curiosidades sobre o pais
– Ganhei uma viagem para Punta Cana! Entenda como foi
– Isla Saona, um passeio imperdível da República Dominicana

Planejando sua viagem? Veja aqui algumas dicas:
– Como aproveitar ao máximo uma viagem curta
– 5 dicas para diminuir o peso da mala
– 8 dicas para comprar sua passagem aérea em casa
– Planejando os custos de uma viagem
– 8 itens que podem fazer a diferença em uma viagem
– 10 dicas para usar melhor a sua GoPro
– 5 dicas para escolher o hotel ideal

até a próxima

monetização..

Já segue o blog nas redes sociais?

Um comentário sobre “Mergulho em Punta Cana – Isla Catalina, República Dominicana

Deixe um comentário